Notícia

“Smart 2020”: garantir o futuro

2008-10-22 09:58:00

Estudo smart 2020

A alteração na forma como as pessoas e as empresas usam a tecnologia poderá reduzir as emissões globais anuais de CO2 em cerca de 15% no ano 2020 e gerar poupanças em eficiência energética da ordem dos 500 mil milhões de euros para o segmento empresarial. A conclusão é do estudo “Smart 2020: Enabling the Low Carbon Economy in the Information Age”, (www.smart2020.org), uma iniciativa conjunta do GeSI  -  Global e-Sustainability Initiative (www.gesi.org)  e do Climate Group. O estudo vem confirmar a posição única que as TIC  podem assumir no apoio ao desenho e implementação das soluções necessárias para a criação de uma economia mundial  com menos intensidade de carbono. Apresentado em Junho, é o único estudo global sobre a crescente importância das TIC para as alterações climáticas anuais,

O relatório resulta de uma análise, conduzida pela McKinsey & Company, que mostra que a pegada de carbono das TIC – actualmente em cerca de 2% das emissões, vai quase duplicar em 2020. Mas este sector será ainda o único com capacidade para monitorizar e maximizar a eficiência energética de todos os sectores da economia, reduzindo as emissões de CO2 em pelo menos cinco vezes. O que equivale a um valor superior às emissões totais actuais dos Estados unidos ou da China.

Há inúmeras oportunidades para redução de emissões através da aplicação das TIC às infra-estruturas globais e à indústria e o relatório examina quatro grandes oportunidades onde o sector poderá fazer mais cortes das emissões globais de CO2. Os smart building, smart logistics, smart electricity grids, e smart industrial motor systems. Os responsáveis do estudo não têm dúvidas em garantir que as TIC são um key driver da redução das emissões de carbono, e poderão liderar o processo de transformação para uma sociedade e economia de baixo carbono. Por isso, o sector deve agir rapidamente e demonstrar que isso é possível, o que requer o apoio claro dos decisores políticos.